MULATO II – Brachiaria híbrida cv. MULATO II

by Gushiken on 16 de dezembro de 2012

Brachiaria híbrida cv. MULATO II é a terceira geração de cruzamentos entre Brachiarias, realizados pelo CIAT (Centro Internacional de Agricultura Tropical – www.ciat.cgiar.org), com sede em Cali, Colômbia, que se iniciaram em 1988, dentro de seu Programa de Forragens Tropicais. 

mulato

CARACTERÍSTICAS DIFERENCIAIS

 · Ampla adaptação edafo climática

· Tolerância ao frio, geadas e queimadas

· Resistência a cigarrinhas-das-pastagens e à maioria das espécies de lagartas

· Resistência a solos ácidos, com respostas a partir de pH = 4,2 e com Alumínio tóxico

· Resistência a longos períodos de secas

· Resistência a altas temperaturas com alta umidade relativa

· Resistência a pisoteio e pragas

· Respostas em solos com fertilidade a partir de média-baixa

· Maior persistência e melhor eficiência, com menor estacionalidade

· Maior densidade e volume de massa foliar

· Maior qualidade nutricional

· Maior consumo animal – melhor palatabilidade, herança da heterose nos cruzamentos com a Brachiaria ruziziensis (uma de suas progenitoras), considerada a de melhor palatabilidade entre as espécies do gênero Brachiaria.

 MORFOLOGIA

raizes

 · Maior profundidade das raízes (chegando a cerca de 1,30-1,50 m de profundidade)

· Maior ramificação do sistema radicular

· Resistência a longos períodos de seca, capacidade de transferência, para a parte aérea, de umidade e de nutrientes encontrados em profundidades não antes alcançadas pelas demais cultivares

· Resistência a queimadas, frio e geadas fortes, devido ao posicionamento “sub” basal da gema da planta, com coroa radical

· Restrição para utilização em zonas de má drenagem ou de encharcamento prolongado

· Susceptível ao fungo Rhizoctonia solani.

· Maior número de perfilhos, um dos principais responsáveis pelo alto índice de massa foliar

· Maior densidade e volume de massa foliar

· Crescimento cespitoso (entouceirado) e decumbente, produzindo uma massa foliar mais espessa, distribuída por toda a extensão da altura das plantas, e também estolonífero, preenchendo os espaços vazios

· Excelente relação folha/talo, pelo maior número de perfilhos, com mais folhas e menos talos em cada perfilho

· Folhas e Talos pubescentes (aveludados), altamente palatáveis e muito macios

· Proteção da planta contra o calor e frio excessivos

· Ingestão pelos animais sem causar ferimentos ou cortes no sistema digestivo

· Redução da ocorrência de carrapatos nas partes mais altas das plantas (obs. a campo)

· Crescimento vigoroso com rápida cobertura e maior velocidade de rebrote

· Uma única floração, e tardia, proporcionando maior e melhor aproveitamento do pasto, mesmo em condições adversas

· Maior qualidade nutricional

· Maior teor de PB (Proteína Bruta)

· Maior teor de minerais

· Menor teor de fibras

· Melhor digestibilidade, sendo recomendado inclusive para equinos (em fenação)

 

TECNOLOGIA DAS SEMENTES

· Utilização de SEMENTES PURAS, com VC médio de 70%

· Escarificação, proporcionando a quebra da dormência das sementes

· Tratamentos Especiais

· Maior velocidade de germinação

· Maior uniformidade na germinação

· Melhor índice de germinação

· Semente Peletizada (incrustada)

· Maior facilidade de semeadura

· Maior proteção de cada semente contra adversidades

· Maior proteção ao operador

· Possibilidade de adição de micronutrientes, inseticidas e fungicidas

 

PLANTIO

 Lembramos que para uma perfeita implantação do Capim Mulato II recomendamos um rigoroso preparo do solo para eliminação total de ervas daninhas e outras variedades de forrageiras existentes já na área  No caso de Brachiaria decumbens, brizantha e humidicola recomendamos pelo menos 3 mãos de grade profunda para eliminação de sementes dormentes em camadas inferiores do solo. Concluindo, o solo devera ser preparado como se fosse plantar uma lavoura de milho ou soja.

Não recomendamos o consorciamento com nenhuma outra variedade de forrageira, pois, o capim MULATO II por ser muito mais palatável sera consumido ate o máximo para depois os animais começarem a consumir a ponta da outra forrageira. Relatos a campo indicam que a palatabilidade do capim MULATO II pode superar a de uma grama TIFTON.

Para aproveitar o ótimo rendimento de cada semente, o plantio deve ser realizado com a maior precisão possível, podendo ser realizado através de semeadoras a lanço (sempre retirar o misturador, pois, danificam as sementes peletizadas), em linha (cuidar com plantadeiras com sistema de correntes que danificam as sementes peletizadas), com matracas ou até mesmo manualmente.

· Taxa de plantio de  12 a 14 kg/ha, respeitadas as condições mínimas favoráveis

. O nascimento de 8 plantas por metro quadrado já e suficiente para uma boa formação.

· Semeadura a lanço

. Afim de facilitar a regulagem da espalhadeira sugerimos a mistura das sementes peletizadas com adubo super simples (50% cada) e grafite em pó para facilitar a vazão das sementes.

· Sementes em mistura com um lastro, que pode ser Superfosfato Simples ou Superfosfato Triplo, têm a vantagem de acrescentar Fósforo no plantio; ou então com outro produto que tenha uma densidade similar à da semente incrustada (peletizada)

· Sementes puras (deixando apenas 1 abertura na espalhadeira modelo cone invertido, regulando-a e retirando o misturador inferior, que pode danificar o pellet)

· Plantio em linha, recomendamos 30 cm X 30 cm e 5 sementes por cova.

· Regular para a taxa ideal de plantio

· Observar a profundidade máxima de plantio, que é de 2 cm

· Observar sempre que a engrenagem da plantadora não esteja danificando o pellet durante o plantio

· Após a semeadura é recomendada a realização de uma compactação, o que sempre facilitará uma melhor emergência das plântulas

· A fertilização com Nitrogênio e Potássio é recomendada para a fase da cobertura +/- 45 dias após o plantio

· A fertilização periódica de manutenção é recomendada pelo menos uma vez ao ano, entre o final da época das secas e o início das chuvas, com, por exemplo, com 50 a 100 kg/ha de Nitrogênio e 50 kg/ha de Fósforo. Procurar a orientação de um agrônomo para a realização da análise de solo e para a recomendação da adubação específica. 

OBS: A Brachiaria hibrida cultivar Mulato II possui em sua composição genética uma característica de germinação mais lenta comparada com forrageiras convencionais, podendo existir sementes germinando de 9 a 40 dias apos plantio. Lembramos que 5 a 6 plantas por metro quadrado já são suficientes para uma boa formação devido as proporções que cada planta quando adulta atinge.

MANEJO

Excelente para pastejo rotacionado intensivo, corte, produção de feno (fardos ou rolos), de silagem e de pré-secado (Silopack), proporcionando:

· Maior produtividade de carne e de leite (por animal, por área e por maior período)

· Melhor qualidade de leite produzido, com maior teor de sólidos (leite a pasto)

O primeiro pastejo deve ser iniciado com o pasto a partir de 60-70 cm de altura (leve ou com bezerros jovens).

Os demais pastejos devem ser iniciados com o pasto até o máximo de 80-90 cm de altura, aproveitando a melhor qualidade nutricional das folhas.

O gado deve ser retirado do piquete quando a altura do pasto estiver em não menos de 25 cm. Isto permitirá que o rebrote tenha maior velocidade.

Para ovinos colocar com 50 cm e retirar com 25 cm.

Este procedimento permite uma otimização do pastejo (diminuição do intervalo de pastejo entre os piquetes e diminuição do tempo de pastejo em cada piquete), oferecendo ao rebanho a melhor qualidade de forragem (pontas de folhas), durante o máximo de tempo possível, maximizando o ganho de peso e/ou maximizando a produção e a qualidade do leite produzido a pasto.

RESTRIÇÃO

· NÃO É RECOMENDADA SUA SEMEADURA SOLOS ENCHARCADOS, EM ÁREAS SUJEITAS A LONGOS PERÍODOS DE INUNDAÇÃO OU COM MÁ DRENAGEM.

agrogushi@gmail.com

(67) 9.9950-3262  Vivo

Fonte e foto: www.mulato2.com.br

Trackbacks & Pings

Seo Packages