Off

MG-5 ou VITÓRIA ou XARAÉS – Brachiaria brizantha cv. MG-5 Vitória

by Gushiken on 20 de junho de 2011

brachiaria_mg5

Nome científico: Brachiaria brizantha (Hochst.) Stapf.

Cultivar: MG-5 Vitória (CIAT 26110 – BRA 004308), registrada em 22/03/2000
Fertilidade do solo: Média e alta
Forma de crescimento: Touceira decumbente
Altura: 1,0  a 1,60 m
Utilização: Pastejo direto, silagem e fenação
Digestibilidade: Excelente
Palatabilidade: Boa
Precipitação pluviométrica: De 800 mm a 3.000 mm anuais
Tolerância à seca: Boa
Tolerância ao frio: Média
Teor de proteína: 8 a 13% na MS
Profundidade de plantio: 1 a 2 cm
Ciclo vegetativo: Perene
Produção de forragens: 10 a 18 t/ha/ano de matéria seca
Cigarrinha das pastagens: Média resistência
Consorciação: Arachis pintoi, Soja perene, Puerária, Calopogônio e Java
Fungos de solo: Boa resistência (fonte: CIAT – Dr. Pedro Argel)
Sinonímia (Data de Registro): Toledo (02/06/00) e Xaraés (11/09/01)

ORIGEM

Em 1996 a Matsuda iniciou o trabalho de avaliação e seleção de alguns acessos do Banco de Germoplasma de Brachiaria do CIAT (Centro Internacional de Agricultura Tropical), realizando ensaios e seleção destes materiais em diversos locais do Brasil.
O primeiro resultado desta seleção foi o cultivar MG-5 Vitória de Brachiaria brizantha, que nos acessos do CIAT tem o número 26110.
Este material foi coletado por Keller-Grein do CIAT, em convênio com a ISABU (Instituição Nacional de Pesquisa de Burundi) da África, entre as cidades de Bubanza e Bukinanyama, no estado de Cibitoke / Burundi, nas coordenadas 020 53′ S e 260 20′ W na África.
Este local está localizado a 1510m acima do nível do mar com uma precipitação média anual de 1710mm de chuvas.

CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS

Este cultivar é uma gramínea perene, poliplóide de reprodução apomítica, pode ser pentaplóide segundo alguns trabalhos realizados, isto é, com cinco conjuntos de cromossomos, diferente do Marandu e MG-4 que são tetraplóides. Este conjunto a mais de cromossomo pode conferir a este cultivar excelente vigor vegetativo e alta produtividade.
Crescimento entouceirado com talos prostrados que podem se enraizar quando em maior contato como o solo, pode atingir até 1,60m de altura, as folhas são lanceoladas com pouca pubescência, com inflorescência em forma de panícula que mede de 40 a 50cm e geralmente com 4 racemos.

CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS

A MG-5 Vitória possui uma ampla adaptação edafoclimática e pode ser recomendada para regiões com 4 a 5 meses de seca e regiões com precipitações de mais de 3.000 mm anuais.
Mesmo que adapte a solos ácidos e arenosos, este cultivar apresentou as melhores produções em solos de média a alta fertilidade, vegeta muito bem em solos arenosos e possui boa adaptação a solos de má drenagem. Durante as secas apresentaram mais folhas verdes que as cultivares Marandu e MG-4 de B. brizantha.
A rebrota após o pastejo da cultivar MG-5 Vitória superou a rebrota da Brachiaria brizantha cultivar Marandu.
Uma das características mais importante deste cultivar, além de apresentar ciclo mais tardio, é a boa produção de matéria seca. Em experimentos realizados, foram obtidos os seguintes resultados:

QUADRO 01: Avaliação da produção de forragem (matéria seca), em quatro locais, de Brachiaria brizantha cv. MG-5 Vitória, nos períodos de seco e de chuvas. Os cortes foram realizados a cada 7 e 4 semanas respectivamente.

* Cortes a cada 4 semanas       ** Cortes a cada 7 semanas

QUADRO 02:Resultado de análise bromatológica de diversas avaliações realizadas, em diferentes épocas do ano, na matéria seca, do cultivar MG-5 Vitória.

QUADRO 03: Resultado de avaliação na fazenda MG, em Mirante do Paranapanema-SP, de ganho de peso de animais de engorda pastejando a MG-5, durante o período chuvoso e seco.

UTILIZAÇÃO E MANEJO

Utilizada para pastejo direto pelos animais, silagem e fenação, sendo indicada para cria, recria e engorda de bovinos, não é aceita por equinos, ovinos e caprinos.

Os melhores resultados da MG-5 foram obtidos em pastagens rotacionados. Após 50 a 60 dias, aproximadamente, após a germinação das sementes, recomendamos, realizar o primeiro pastejo na MG-5, evitando o “acamamento” da  grande quantidade de forragem produzida, prejudicando a sua rebrota. Este primeiro pastejo deverá ser feita por uma grande quantidade de gado, mas por pouco tempo (até a altura de 30 cm do solo).
No rotacionado os piquetes devem ficar entre 25 a 30 dias em descanso durante o período chuvoso e quente do ano, com 1 a 5 dias de utilização. Na seca e frio o tempo de descanso da área é bem maior. Em caso de pastejo contínuo a altura mínima de pastejo é cerca de 20 cm, altura esta em que a  quantidade de talos  é maior  do que a quantidade de folhas.
Por ser um cultivar de ciclo tardio (demora a florescer) o uso desta pastagem durante o período chuvoso deve ser bastante intensificada, com alta pressão de pastejo (produção de forragem x quantidade de animais). Por apresentar florescimento tardio, a sua adaptação ao período seco é bem melhor também.

O quadro 04 apresenta resultado comparativo, realizado pelo CIAT, de três cultivares de Brachiaria brizantha:

QUADRO 04: Comparativo das principais características de três cultivares de Brachiaria brizantha.

QUANTIDADE DE SEMENTES NO PLANTIO

Recomendações dependendo das condições de plantio:

50 VC% – 10 a 12 Kg/Ha

Revestida – 12 a 14 Kg/Ha

É indicado o uso de 350 a 420 pontos de Valor Cultural (VC)/ha

As condições de plantio referem-se ao preparo de solo, as condições climáticas da região (chuva, temperatura do solo e luminosidade), se o solo foi corrigido (calagem) e fertilizado, se há problemas com insetos (formigas, cupins, grilos, gafanhotos, lagartas, cigarrinhas, etc), se há problemas com a infestação de ervas daninhas, etc.

Estas informações deverão ser obtidas com o proprietário para recomendarmos a quantidade necessária de sementes no plantio, assim como a forma em que será plantada.

 

agrogushi@gmail.com

(67) 9.9950-3262  Vivo

Comments are closed.

Seo Packages